Balanço do desempenho da indústria de pneus no terceiro trimestre divulgado pela Anip, Associação Nacional da Indústria de Pneumáticos, apresenta crescimento nas vendas pneus de 2,4% no período, para 15,7 milhões de unidades contra 15,3 milhões registrado nos mesmos três meses do ano passado.

“Apesar de registrar um pequeno crescimento no terceiro trimestre deste ano, o resultado poderia ter sido melhor”, avalia em nota Klaus Curt Müller, presidente executivo da Anip. “A instabilidade no contexto político e econômico vivenciada no período impactou o mercado como um todo, e sentimos isso principalmente no mês de setembro, quando registramos queda de 4% em relação a agosto.”

As entregas de pneus para as montadoras se mostraram como as alavancas para o resultado positivo. De julho a setembro, a indústria de pneu negociou 4,1 milhões de equipamentos originais, acréscimo de 14,9% sobre o volume negociado um ano antes, de 3,6 milhões.

Para o mercado de reposição, no entanto, as vendas no terceiro trimestre recuaram 1,4% com 11,5 milhões de unidades ante 11,7 milhões de pneus vendidos no mesmo trimestre de 2017.

“Mesmo com o aumento na comercialização de pneus para montadoras, houve um impacto negativo no mercado de reposição nesse trimestre, que se deu principalmente pela redução nas vendas no mês de julho”, observa o presidente da Anip.

LEIA MAIS

→Brasil reciclou cerca de 92 milhões de pneus no ano passado

→Vendas de pneus avançam 2,3% no primeiro semestre

Anúncio

→Pneus agora só com etiqueta

Por segmento, as vendas de pneus para veículos comerciais pesados no 39terceiro trimestre cresceram 14,3%, totalizando 1,97 milhão de unidades contra 1,73 milhão de produtos registrados nos mesmos três meses do ano anterior. Destaque para o desempenho de entregas para as montadoras, com 395,2 mil unidades, volume 57,8% superior ao anotado no período de julho a setembro de 2017, de 250,5 mil pneus.

Na categoria de pneus de passeio, os 8,73 milhões de pneus negociados no terceiro trimestre representaram queda de 2,2% em relação aos 8,93 milhões vendidos há um ano. Ainda que as 2,71 milhões de unidades entregues às fabricantes de veículos no período tenham registrado alta de 14,7% sobre os 2,36 milhões de pneus fornecidos um ano antes, o desempenho negativo de 8,3% no mercado de reposição, com 6,02 milhões de unidades, trouxe o resultado para baixo.

As vendas de pneus para comerciais leves também sofreram pequeno declínio de 1,7% com 2,01 milhões de pneus vendidos no terceiro trimestre contra 2,04 milhões de unidades apuradas no mesmo período de 2017. No segmento de duas rodas, o crescimento nas vendas foi de 13,8%, com 2,7 milhões de pneus negociados.

Apesar do número de unidades importadas ser superior ao número das exportadas, 27,2 milhões e 19,9 milhões, respectivamente, a indústria de pneus conseguiu preservar superávit da balança comercial em US$ 38 milhões devido ao câmbio favorável.


Foto: Vipal/Divulgação