Com excelente desempenho no mercado interno, o Nissan Kicks produzido em Resende, RJ, conquista mais um país na América do Sul. Após desembarcar na Argentina, agora é a vez do Paraguai receber o SUV que, desta vez, seguirá tal qual o modelo comercializado por aqui, sem a necessidade de qualquer ajuste no motor ou no sistema de injeção de combustível.

O Paraguai, como lembra a Nissan, incorporou o etanol como prioridade em sua matriz de combustíveis, o que permite manter no SUV exportado o mesmo motor flex vendido no Brasil.

Segundo a montadora, o primeiro envio para o Paraguai representa mais um importante marco para a empresa na América Latina e também para o projeto de exportações a partir do Brasil.

“Termos mais um mercado para o Kicks reforça a posição do Complexo Industrial de Resende entre os mais importantes centros de produção e exportação da Nissan no mundo”, comenta Sérgio Casillas, vice-presidente de operações de manufatura da Nissan América Latina.

Segundo o executivo, o Kicks se consolidou como um dos líderes no segmento de SUVs compactos no Brasil e já emplacou mais de 192 mil unidades na América Latina desde o seu lançamento em meados de 2016, época em que era produzido apenas no México. Sua fabricação em Resende começou em maio de 2017 e o Brasil, então, passou a ter prioridade no abastecimento dos países da América do Sul.

Anúncio

LEIA MAIS

Kicks: um ano de produção local e 75% de crescimento nas vendas.

Nissan comemora 18 anos com vendas em alta

Nissan terá pista exclusiva no Salão do Automóvel

No mercado brasileiro o modelo é um sucesso. De janeiro a setembro deste ano atingiu 33,7 mil licenciamentos, volume 52% superior ao registrado no mesmo período do ano passado (22,1 mil).

O Paraguai, que agora passa a receber o SUV brasileiro, já faz parte do mapa de exportações da fábrica brasileira. Desde 2016 são exportados para o país vizinho o March e o Versa, também produzidos na fábrica do sul fluminense.

Iniciado em março de 2016, o programa de exportações do Complexo Industrial da Nissan em Resende já cobre oito mercados da região: Argentina, Bolívia, Chile, Costa Rica, Panamá, Paraguai, Peru e Uruguai. Desde o início do projeto, a Nissan já exportou mais de 40 mil unidades.