A Volkswagen está revendo sua estratégia e mecanismos de publicidade e marketing globalmente. A empresa anunciou que pretende melhorar sua eficiência nessas áreas em cerca de 30% até 2020, ainda que estime que o orçamento de aproximadamente € 1,5 bilhão permanecerá praticamente estável.

Chamam a atenção nas projeções da montadora sobretudo a elevação das midias digitais — dobrará com relação a 2015, passando de 25% para 50% em 2020 — e a proposta de ter abordagem dos clientes cada vez mais personalizada. Para isso, informa a Volkswagen, “o número de elementos de campanha, como filmes ou anúncios, aumentará cerca de cinco vezes”.

Se de um lado a ideia é diversificar a abordagem, de outro a Volkswagen concentrará suas ações globamente em três agências líderes, contra as atuais quarenta. O Grupo Omnicom será responsável pela Europa e América do Sul, a WPP pela América do Norte e a Cheil pela China.

Mais ainda: a partir do ano que vem, a empresa reunirá suas atividades de marketing apenas em quatro escritórios em Berlim, Nova York, São Paulo e Pequim. Cada um deles, afirma a empresa, reunirá terá de cem a duzentos profissionais que trabalharão em campanhas de forma integrada e multifuncional e desenvolverão o conteúdo da estratégia até a implementação e a distribuição.

Anúncio

LEIA MAIS

→Volkswagen investirá € 44 bilhões no mundo até 2023

→Grupo VW apura resultados recordes

→ “2019 é o ano-chave para a Volkswagen do Brasil”, diz Pablo Di Si

“Graças ao nosso novo modelo de vendas, estaremos em posição de nos comunicarmos diretamente com o cliente no futuro. No passado, os contatos diretos eram, em grande parte, atribuição dos concessionários”, afirma Jochen Sengpiehl, completa diretor de marketing da VW.

Para isso, a Volkswagen trabalha no desenvolvimento e  criação de novas plataformas digitais, sejam de vendas ou serviços. Em uma delas o cliente poderá adquirir e gerenciar funções sob demanda para seu veículo conectado. A comunicação direta entre a fabricante e os consumidores será gerenciada, a partir de 2020, por meio de uma espécie de RG pessoal, que será introduzido com os novos sistemas de vendas.


Ilustração: Divulgação