OBanco Mercedes-Benz gerou R$ 3,8 bilhões em novos negócios no ano passado, montante 49% superior ao registrado em 2017, que foi de R$ 2,6 bilhões. Em dezembro a instituição obteve o melhor desempenho mensal desde 2014 e as perspectivas para este ano são de continuidade do crescimento.

Com base nas estimativas de expansão do mercado de veículos, principalmente o de pesados, e no cenário econômico favorável do País, o presidente e CEO do Banco Mercedes-Benz, Christian Schüler, acredita que o volume de novos negócios crescerá pelo menos 15% em 2019, para mais de R$ 4,1 bilhões.

“Temos um leque de produtos e serviços abrangentes, recursos digitais inovadores e proximidade com os clientes no sentido de atender suas necessidades específicas, o que nos permite vislumbrar um 2019 ainda melhor do que 2018″, comenta Schüler.

LEIA MAIS

Mercedes-Benz contrata para ter segundo turno no ABC

Mercado de caminhões cresce 47% em 2018

O melhor ano da instituição foi em 2014, com R$ 4,8 bilhões, ano em que as condições de financiamento estavam extremamente atrativas, com juros negativos em operações do Finame. Hoje o CDC, Crédito Direto ao Consumidor, domina os negócios do Banco Mercedes-Benz na área de veículos pesados. O CDC respondeu por 70% dos novos negócios nessa área no último trimestre do ano passado, ante os 20% de 2017.

Anúncio

LEIA MAIS

CDC dispara no segmento de veículos pesados

Com relação a 2018, o executivo atribui os bons resultados da instituição à boa aceitação do Refrota no mercado de ônibus e à retomada do segmento de caminhões, fruto do crescimento da atividade industrial e do desempenho favorável do agronegócio. Só em dezembro foram feitos R$ 409 milhões em novos negócios, sinalizando dias ainda melhores este ano.

Segundo Schüler, o trabalho intenso na busca de soluções digitais com foco nas necessidades dos clientes e concessionários resultou em um acumulado na carteira da instituição de R$ 9,6 bilhões em 2018, valor 20% superior ao de 2017, de R$ 8,019 bilhões.

O Banco Mercedes-Benz lidera os financiamentos da marca em todos os segmento nos quais atua. Detém 47% das vendas financiadas dos caminhões, índice que chega a 65% no caso dos ônibus e está na faixa de 50% nos negócios relativos a automóveis. A instituição também opera com leasing operacional em toda a linha, mas a participação dessa modalidades nos novos negócios ainda é extremamente pequena.

No caso dos veículos comerciais, os novos negócios cresceram 58% no ano passado, para R$ 2,6 bilhões. Já no segmento de automóveis o crescimento foi de 4%, passando de R$ 323 milhões em 2017 para R$ 336 milhões no ano passado.


Foto: Divulgação/BMB