Ainvestida da Nissan no mundo dos elétricos começa a trazer resultados. Com pré-venda iniciada em novembro no Salão do Automóvel de São Paulo, o Leaf, que custa R$ 178,4 mil, já tem quinze encomendas feitas a partir de um sinal de R$ 5 mil. Esses clientes terão tratamento especial por parte da montadora, que fornecerá o carregador de bateria e acompanhará a sua instalação na residência gratuitamente.

Segundo o presidente da Nissan do Brasil, Marco Silva, a meta inicial do período de pré-venda do veículo 100% elétrico era de dez unidades: “Já consideramos o lançamento um sucesso. O interesse pelo modelo nos surpreendeu, não só pelas encomendas mas também pelas consultas por parte de consumidores comuns e de empresas. O potencial, portanto, é grande. Mas como não temos experiência com elétricos no País achamos prematuro projetar vendas”.

A montadora não revela a data da chegada do Leaf ao Brasil, garantindo apenas que será neste primeiro semestre. No período chegará um lote de 42 unidades, das quais algumas serão colocadas para test-drive. O Leaf virá da fábrica do Reino Unido, que abastece a Europa e está com dificuldade para atender a demanda pelo produto.

LEIA MAIS

Nissan não terá 3º turno este ano por causa da crise na Argentina

Nissan inicia pré-venda do novo Leaf

Leaf lidera vendas na Europa

Anúncio

A rede que está sendo preparada para atender os clientes do Leaf é composta por sete concessionárias, das quais duas em São Paulo. As restantes estão instaladas no Rio de Janeiro, Belo Horizonte (MG), Porto Alegre (RS), Curitiba (PR) e Florianópolis (SC).

“Vender um Leaf é diferente de vender nossos outros produtos, razão de estarmos investindo na formação de profissionais na rede para recebê-lo”, comenta Silva. “No caso do carregador da bateria, precisa ter uma instalação correta na residência, por isso decidimos dar suporte gratuíto para os primeiros clientes do modelo”.

O Leaf, segundo a Nissan, é o único do segmento que também pode servir como um dispositivo móvel de armazenamento de energia. Por meio de um sistema conhecido como vehicle-to-grid. Seus proprietários podem compartilhar a capacidade excedente da bateria do carro com a sua casa, por exemplo, para economizar na conta de luz, ou como fonte de energia no caso de um blackout ou emergência.

A Nissan realizou nesta quarta-feira, 13, no Autódromo de Interlagos, em São Paulo, o Nissan Electric Café, que teve por objetivo mostrar o potencial da mobilidade elétrica. Além do Leaf, a empresa mostrou outras três tecnologias alternativas aos motores a combustão: o X-Trail híbrido, o SOFC e o Note e-Power. Alguns estão no Brasil em testes e estiveram disponíveis para test-drive dos convidados.


Foto: Divulgação/Nissan