A Empresas Randon diz vivenciar uma de suas maiores expansões de sua história. No exercício do ano passado, a companhia apurou um crescimento no faturamento líquido de 45% para R$ 4,3 bilhões, com divisão de autopeças respondendo por 50,8% da receita ao somar R$ 2,2 bilhões. O resultado, de acordo com Sérgio Carvalho, COO da divisão, foi baseado na internacionalização, investimento em P&D e, especialmente, no aumento do portfólio de produtos.

“Tivemos um substancial reforço para atender o mercado de reposição com adição de discos de freios, tambores de rodas, pastilhas de freio, fluidos, componentes de suspensão, secadores de ar, filtros, além de entrar no segmento de moto com pastilhas de freio”, conta Carvalho. “As recentes aquisições, como a da Jurid, e recentes operações na Argentina e Uruguai, nos fortelece.”

LEIA MAIS

→Randon expande operações na área de implementos

→Randon: desempenho bem acima do esperado em 2018.

Anúncio

→Daniel Randon é o novo CEO das Empresas Randon

Com o poder de fogo que experimenta o grupo, somente a Fras-le, a maior operação da divisão de autopeças, espera alcançar em 2019 uma receita bruta de R$ 2 bilhões, conta R$ 1,7 bilhão obtido no passado, com as operações externas respondendo por US$ 215 milhões ante os US$ 163 milhões registrados anteriormente.

Na Suspensys, com foco em eixos, sistemas de rodagem e suspensões para veículos pesados, a Randon coloca em ação uma nova estratégia na qual visa crescimento no mercado reposição. A companhia organizou uma unidade de negócio com estrutura dedicada, do desenvolvimento de portfólio à logística de distribuição. Com o reforço na área, a estimativa é de que a receita do Negócio Reposição da empresa cresça dos atuais R$ 100 milhões para R$ 300 milhões em 2023.


Foto: Randon/Diivulgação