A Renault deu novo ânimo a Sandero, Logan e Stepway. A marca atualizou visual, renovou acabamento e, como uma das principais novidades, introduziu a oferta de câmbio automático CVT X-Tronic, até então existente no segmento de veículos da marca, mas preservam os mesmos motores 1.0 e 1.6, além do 2.0 na opção esportiva do Sandero RS.

As versões de cada um dos modelos também foram reposicionadas de forma simplificada. No caso do Sandero, a variante Life 1.0 de entrada parte de R$ 46,9 mil e chega a R$ 65,5 mil, na versão Intense 1.6 CVT. Na gama ainda há o esportivo com motor 2.0 por R$ 69,7 mil. Na linha Logan, a Life sai de R$ 50,5 mil a R$ 71 mil, na variante Iconic 1.6 CVT. Por fim, o Stepway, agora como nome próprio, não mais como uma versão do Sandero, chega por R$ 61,2 mil, na opção Zen, até R$ 73,1 mil pela Iconic 1.6 CVT.

Na renovação visual, os lançamentos ganharam assinatura de LED na dianteira e na traseira – exceção feita ao sedã, com atualização somente na frente -, e nas versões com câmbio CVT, molduras plásticas nas caixas de rodas como também altura de 40 mm maior em relação ao solo. O ajuste na suspensão foi necessário devido ao tamanho da caixa de transmissão. Por dentro, traz bancos inéditos e atualização no software da central multimídia Media Evolution, agora dotada com tecnologia Android Auto e Apple Car em tela de 7 polegadas.

Desde as opções de entrada, com motores 1.0 e câmbio manual de cinco marchas, casos encontrados no Sandero e no Logan, os modelos entregam um pacote de equipamentos que não decepciona, que inclui quatro airbags (dois frontais e dois laterais), Isofix, direção eletro-hidráulica, travas elétricos e acionamento elétrico dos vidros dianteiros. Já a Stepway o motor é sempre 1.6, com o câmbio manual na versão de entrada, ou automático nas outras opções.

LEIA MAIS

→Renault se consolida como a quarta marca mais vendida

→Renault lança serviço de gestão de frota de automóveis

Anúncio

→Renault avalia novo ciclo de investimento no País

Os lançamentos são parte do ciclo de investimento de R$ 3,2 bilhões realizados pela empresa nos últimos três anos. Com o recurso, dentre outros destinos, a Renault preparou fábrica de São José dos Pinhais (PR) com 200 novos robôs, no fim do ano passado, para receber os novos modelos.

Como plataforma mais vendida pela marca no País, a Renault espera incrementar ainda mais seu crescimento nas vendas de Sandero, Logan e Stepway. Ricardo Gondo, presidente da Renault no Brasil, prefere não revelar uma estimativa, mas acredita que as novidades contribuam com uma alta de 20% nos licenciamentos da empresa até o fim do ano. “Os lançamentos são base de uma evolução contínua da Renault desde 2010. Não temos pretensão de posicionamento em ranking de marca, mas de ganhar participação. A meta é de ter no mínimo 10% do mercado até 2022.”

No primeiro semestre, a fabricante cresceu quase 24% nas vendas de automóveis e comerciais leves, com 112,8 mil automóveis e comerciais leves vendidos, volume que representou 9,1% de participação.

A estratégia para chegar lá também passa por nova estratégia de vendas, especialmente em relação aos financiamentos. Para as novidades, a fabricante concede vantagem de bônus de R$ 1 mil em negócio com o banco da montadora ou ainda R$ 2 mil de desconto no que chamou de Troca Fácil. No caso, o plano é de 30% entrada, prestações pequenas em até 49 vezes e uma última de 35% do preço. Para a modalidade, a Renault garante 80% do valor tabela Fipe na futura troca por um 0 Km.

Segundo Federico Goyret, diretor de marketing da fabricante, os financiamentos que chama de troca fácil saltaram de 4% para 18% na carteira de negócios da Renault. “É uma maneira de se adequar à realidade do cliente, que também fica mais propenso a fazer manutenção na rede e também de gerar mais fidelidade à marca.”


Fotos: Renault/Divulgação