Confiante na continuidade do crescimento do mercado de veículos pesados, a Mercedes-Benz do Brasil apresentará em setembro uma nova linha de caminhões da marca, que chegará ao mercado em 2020 e é fruto de um investimento de R$ 1,4 bilhão, parte do ciclo de R$ 2,4 bilhões programado para o período 2018-2022.

“Vamos abrir uma nova década no Brasil”, comentou o presidente da Mercedes-Benz do Brasil e CEO América Latina, Philipp Schiemer. “Serão os caminhões mais inteligentes e seguros do mercado brasileiro”.

A nova linha será produzida na fábrica de São Bernardo do Campo, o que sinaliza que a partir do ano que vem a empresa possa vir a concentrar sua produção de caminhões no ABC paulista, mantendo em Juiz de Fora, MG, apenas a linha de cabines – atualmente ainda são fabricados lá os modelos Actros.

LEIA MAIS

Mercedes-Benz cria segundo turno na fábrica de ônibus

Mercedes-Benz tem 100 vagas para estagiários a partir de 2020

Caminhões pesados seguem como protagonistas do mercado

Schiemer não quis entrar em detalhes sobre o assunto, mas disse que tudo será negociado em seu devido tempo. A Mercedes-Benz acredita que o mercado de caminhões possa superar as 90 mil unidades este ano, chegando a cerca de 92 mil a 93 mil unidades.

Sobre a economia brasileira, o executivo voltou a falar que o caminho está certo, mas a velocidade de implementação das medidas está lenta. “A economia está bem encaminhada, mas o andar da carruagem está muito devagar”. Segundo ele, o que mais preocupa hoje são as tensões globais, assim como a recessão no mercado argentino, que prejudica produção brasileira.

Anúncio

O presidente da Mercedes-Benz acredita na continuidade do crescimento do mercado de caminhões e ônibus no próximo ano, mas preferiu não arriscar índices de crescimento. Destacou que a marca comercializou 16,8 mil caminhões até junho, com 30% de participação no mercado brasileiro, ante os 27,8% do ano passado.

“O extrapesado continua puxando o mercado, principalmente em função do agronegócio que segue muito bem. Outro segmento que tem melhorado é o ligado a líquidos, enquanto os de construção e logística continuam sem reação”.

Apesar da evidente frustração com o ritmo atual de crescimento da economia, Schiemer acredita em melhores dias a partir do ano que vem, prevendo reação nos segmentos de construção, indústria e varejo: “As taxas de juros menores, a inflação controlada e as reformas sendo implementadas abrem um novo horizonte de oportunidades para os negócios de veículos comerciais no País”.

O ciclo de investimento de R$ 2,4 bilhões no período 2018-2022 envolve tanto lançamento de produtos, novas tecnologias e serviços de conectividade, como também a modernização das fábricas rumo à Indústria 4.0.

O investimento na nova linha que chega ao mercado em 2020, segundo o presidente da montadora, é uma demonstração clara de que a Mercedes-Benz não deixou de acreditar no potencial do mercado brasileiro. “Estamos preparados para entregar mais eficiência aos negócios de nossos clientes na nova década que se aproxima e crescermos juntos com os clientes e o mercado”, destacou Schiemer.


Foto: Divulgação/Mercedes-Benz