Os airbags têm sido, de longe, o motivo do maior número de veículos envolvidos em recalls em todo o mundo nos últimos anos. Por uma razão ou outra, são eles que volta e meia forçam as montadoras a chamarem proprietários de seus veículos para reparos ou troca de um ou diversos de seus componentes.

O mais recente caso no Brasil envolve 5.023 automóveis de três modelos da Nissan. A grande maioria, 4.844 veículos, da picape Frontier, além de 124 do Sentra e 55 unidades do utilitário esportivo Pathfinder. Em todos, as concessionárias Nissan substituirão o gerador de gases que infla a bolsa de proteção.

A única diferença é que na Frontier a montadora identificou problemas no airbag do motorista, enquanto no SUV e no sedã o componente defeituoso integra o airbag do passageiro da frente e que inclusive já foi alvo de campanhas de recall anteriores.

A Nissan reconhece que, em caso de colisão frontal, a ativação do gerador de gases pode gerar pressão excessiva a ponto de romper o próprio dispositivo e acarretar a projeção de fragmentos metálicos para o interior do veículo.

“Esta condição poderá, em casos extremos, causar danos materiais e lesões físicas graves ou até mesmo fatais aos ocupantes do veículo”, admite a empresa, que, no entanto, afirma não ter conhecimento de incidentes com veículos vendidos no Brasil.

Anúncio

LEIA MAIS

→ Nissan atinge 400 mil veículos produzidos em Resende

→ Carlos Ghosn afirma que a parceria Renault-Nissan hoje é uma farsa

→ Nissan March à espera do sucessor

As picapes convocadas foram fabricadas entre agosto de 2007 e março de 2008. Os Sentra, entre janeiro de 2004 e julho de 2006. Já aos Pathfinder são ainda mais antigas: saíram da linha de montagem entre outubro de 2001 e outubro de 2004.

A troca do componente leva cerca de 1 hora, de acordo com a montadora, e o serviço deve ser agendado gratuitamente na rede de concessionárias da marca.


Foto: Divulgação/Nissan