O sistema de consórcio de veículos encerrou 2019 com resultados positivos em todos os segmentos. Na média, a venda de novas cotas subiu 7,6%, com total de 2,42 milhões de adesões. O tíquete médio também cresceu tanto nos veículos leves como nos pesados e motocicletas, indicando que o consumidor está investindo mais nessa modalidade de compra.

Os veículos pesados tiveram o melhor desempenho, com crescimento de 28,8% e a comercialização de 91,6 mil cotas. No caso dos automóveis e comerciais leves a alta foi de 9,5%, com 1,27 milhão de adesões. A procura por motos via consórcio teve expansão de 3,9%, com a venda de 1,06 milhão de cotas, conforme levantamento da Abac, Associação Brasileira das Administradoras de Consórcio.

Considerando todos os segmentos, o volume de créditos comercializados evoluiu 23,8%, passando de R$ 68,3 bilhões em 2018 para R$ 84,4 bilhões no ano passado. O aumento dos créditos disponibilizados foi de 3,3% atingindo R$ 34,1 bilhões em 2019.

LEIA MAIS

Consórcio: “Quer aderir? Conheça bem o produto”.

O presidente executivo da Abac, Paulo Roberto Rossi, destaca o aumento do tíquete médio em todos os segmentos. “O consumidor sabe que vai pagar num prazo mais longo, então opta por um bem de valor maior”. Sobre os números positivos de 2019, com desempenho recorde do setor, ele comenta que a adesão ao consórcio mostra maior conscientização do consumidor quanto à importância da educação financeira no seu dia a dia.

Anúncio

O tíquete médio subiu 18,5% no segmento de automóveis e comerciais leves, passando de R$ 42,7 mil para R$ 50,6 mil, e expressivos 55,3% no caso das motos – de R$ 8,5 mil para R$ 13,2 mil. No caso dos veículos pesados, que inclui caminhões, ônibus e máquinas agrícolas, a alta foi de 16%, de R$ 154,6 mil para R$ 179,3 mil de 2018 para 2019.

LEIA MAIS

Sudeste e Sul lideram vendas de consórcio de caminhões

Mais de 100 mil participantes no consórcio de máquinas agrícolas

Os participantes ativos no sistema de consórcio de veículos, incluindo todos os segmentos, cresceu 1%, para 6,15 milhões, e as contemplações ficaram estáveis em 1,1 milhão.


Foto: Pixabay