As viagens de carro particular diminuirão 10% nas maiores cidades do mundo ao longo da próxima década, conclui o estudo Mobility Futures, da Kantar, empresa global de pequisa de mercado.

O decréscimo, aponta o levantamento realizado em 31 grandes cidades de todos os o continente, decorrerá da ascensão dos serviços de compartilhamentos,da multimodalidade e dos veículos autônomos  e até do envelhecimento da população.

A Kantar projeta que, apenas nas cidades pesquisadas, cerca de 36,7 milhões de pessoas mudarão seus hábitos e  forma de deslocamentos até o fim da década. Manchester, na Inglaterra, é indicada como a cidade que passará por mudanças mais profundas no uso de transporte, seguida por Moscou e São Paulo.

A utilização do automóvel para viagens na maior cidade brasileira e uma das mais congestionadas da América do Sul, diz o estudo, recuará 28% em dez anos, quase um terço, enquanto as por transporte público crescerão 10%, as caminhadas, 25%, e o ciclismo avançará nada menos do que 47%.

A exemplo de São Paulo, o menor números de viagens de carros particulares nas demais cidades será compensado, em maior ou menor grau, pelo aumento do uso de transporte público, de bicicletas e até mesmo por caminhadas, diz o estudo.

Na média, a Kantar avalia que, até 2030, esses meios de transporte representarão 49% de todas as viagens realizadas, contra 46% dos carros, que hoje respondem por 51% dos deslocamentos.

BICICLETAS EM ALTA

O ciclismo tende a ser o meio de transporte que mais crescerá na próxima década. A projeção de aumento dos deslocamentos sobre bicicletas é de 18%, acima do esperado avanço do transporte público, da ordem 15%, e dos percursos a pé, que devem aumentar  6%.

Anúncio

A empresa afirma que milhares de projetos de infraestrutura em todo o mundo, como expansão de ciclovias e esquemas de compartilhamento de bicicletas, projetos de pedestres e melhorias no transporte público contribuirão para esses novos comportamentos de mobilidade.

“Promover e investir em tecnologia para mobilidade urbana será fundamental para facilitar a transição para soluções de transporte mais inteligentes e sustentáveis ​”, afirma Luciana Pepe, diretora de contas da Kantar para o setor automotivo. “A pesquisa identifica que 40% das pessoas em todo o mundo estão abertas a adotar novas soluções inovadoras de mobilidade, mas nem todas as cidades estão prontas para essa transformação.”  

INDICADOR DE MUDANÇAS

A Kantar elaborou o Índice Transforming Cities, que indica quanto quanto o comportamento da mobilidade mudará nas cidades pesquisadas. Ele se baseia na mudança na proporção de viagens de carro, bicicleta, caminhada e transporte público. As cidades que mais mudarão têm a pontuação mais alta, enquanto um índice de 100 representa a média global.

 

RankingCidadePontuação
1Manchester184.9
2Moscou183.4
3São Paulo172.4
4Paris160.0
5Joanesburgo157.3
6Cantão154.6
6Milão154.6
8Montreal120.3
9Amsterdã119.7
10Xangai118.5

Fotos: Pixabay