Com o objetivo de buscar maior segurança veicular e economia de combustível a FCA, Fiat Chrysler Automobiles, se uniu a centros de pesquisa, entidades empresariais e fornecedores da indústria automobilística para o desenvolvimento de ligas de alumínio inovadoras, que propiciem redução de peso e maior resistência.

O termo de cooperação técnica foi assinado nesta quinta-feira, 20, na sede da Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg), em Belo Horizonte. Denominado Otimização de Ligas de Alta Resistência de Alumínio para o Setor Automotivo, o projeto envolve parceria com o Centro de Inovação e Tecnologia, do Senai-Fiemg, e a CBA, Companhia Brasileira de Alumínio, além da Novelis, Aethra e 6PRO Virtual and Practical Process.

A iniciativa tem fomento da Unidade Embrapii do Instituto Senai de Inovação em Metalurgia e Ligas Especiais, e parte do investimento é proveniente do Programa Rota 2030.

LEIA MAIS

Embrapii capta R$ 40 milhões para projetos do Rota 2030

Eficiência energética e emissões: benefícios do Rota 2030 e riscos do Proconve.

FCA destaca a América Latina em seu balanço global

Segundo a FCA, o uso de ligas de menor peso e baixa densidade, como o alumínio, contribui para a redução de emissões de CO2 e o desempenho energético dos automóveis. Dentro da companhia, o projeto é fruto do mapeamento das suas demandas tecnológicas, neste caso da Engenharia Body, área que integra a diretoria do desenvolvimento do produto, responsável pelo projeto estrutural dos veículos.

Anúncio

“A pesquisa irá fomentar inovações na cadeia automotiva ao impulsionar o desenvolvimento local de tecnologias, preparando o automóvel para os novos desafios, principalmente levando-se em consideração as metas apresentadas pelo Programa Rota 2030 nas áreas de eficiência energética e segurança veicular”, destacou o diretor de segurança veicular e conformidade regulatória da FCA para a América Latina, João Irineu Medeiros.

O gerente de Inovação e Tecnologia do CIT SENAI, André Zanatta, reforçou que este trabalho reúne várias empresas com um objetivo único: É gratificante estar com essas indústrias pelos próximos 13 meses desenvolvendo um produto que irá agregar mais valor para o setor automotivo”.

Os profissionais envolvidos irão desenvolver duas ligas de alumínio com um amplo leque de possibilidades de aplicações nos veículos. A intenção é chegar a um produto que atenda aos objetivos de eficiência energética e com potencial para exportação.

“O desenvolvimento das ligas de alumínio vem para aumentar a competitividade da cadeia de mobilidade do nosso país. É uma iniciativa que temos orgulho em apoiar”, disse o especialista em Inovação Industrial na Embrapíi, Marcos Simonetti.

Dentre os resultados esperados destaca-se a redução do consumo de combustível – para cada 10% de redução de peso nos automóveis, estima-se um aumento em torno de 5% em eficiência energética.


Foto: Divulgação/FCA