Com dois turnos em ritmo mais lento do que o anterior ao da pandemia da Covid-19, a Volkswagen retoma na próxima segunda-feira, 18, as atividades na fábrica paranaense de São José dos Pinhais. A primeira linha a ser ativada é a do T-Cross, modelo da marca que vinha com boa procura antes da crise do mercado, chegando a ocupar a vice-liderança do segmento de SUVs em março, quando superou o Jeep Compass e ficou atrás apenas do Renegade, também da marca estadunidense.

A empresa informa que a volta dos trabalhadores será acompanhada de todas as medidas de saúde e segurança determinadas pelas autoridades da área. A fábrica do Paraná é a primeira da Volkswagen e reativar atividades. As instaladas em São Paulo – as de automóveis de São Bernardo do Campo e Taubaté e a de motores de São Carlos – têm previsão para retornarem à operação apenas no dia 25 de maio.

A prorrogação da data original, que era a mesma de São José dos Pinhais, foi prorrogada porque as concessionárias do Estado continuam com as portas fechadas por causa do isolamento social ainda vigente em São Paulo.

Segundo a Volkswagen, as medidas de higiene e segurança para proteger a saúde dos empregados foram significativamente expandidas em todas as suas unidades industrias e administrativas, seguindo experiências das fábricas do grupo na China e Alemanha, em conformidade também com os protocolos internacionais e alinhadas às determinações do governo.

“Vamos começar de uma forma muito planejada, seguindo todas as boas práticas de limpeza e higiene”, destaca Pablo Di Si, CEO e presidente da Volkswagen para a América Latina. “Estamos levando as orientações aos nossos empregados de forma didática e por meio de vídeos, porque será uma experiência inédita para todos e o entendimento de todas as regras será fundamental para nos acostumarmos rapidamente a esta nova realidade”.

O executivo define o retorno como um sinal importante para a a empresa, a rede de concessionárias, fornecedores e a economia em geral, mas ressalva que este é apenas o primeiro passo. “É necessário um momento adiante para estimular a demanda do mercado interno e dos países para os quais exportamos e, assim, adequar os volumes de produção diante da demanda”.

Anúncio

LEIA MAIS

Volkswagen adia retorno das fábricas paulistas para o dia 25

Volkswagen fecha acordo de 30% de redução de jornada

Com os devidos cuidados, FCA retoma produção de automóveis

A montadora garante que todas as instalações estão preparadas com sinalização e orientações de segurança e higiene, tais como limitadores de distância nas portarias de entrada e coletoras de ponto, obrigação de usar máscaras para a boca e o nariz, limpeza periódica das dependências das fábricas e escritórios e reforço na desinfecção dos ambientes, além da medição de temperatura antes de ingressar no ônibus fretado e na fábrica.

As mudanças cobrem, no total, 80 itens, e para a volta das suas atividades a Volkswagen já providenciou 67 mil máscaras de tecido do projeto Costurando o Futuro.  Também foram instalados postos avançados de atendimento médico dentro de todas as fábricas para orientação, triagem e atendimento mais rápido de todos.

Inaugurada em 1999, a fábrica de São José dos Pinhais conta com mais de 2,5 mil empregados e é responsável pela produção dos modelos T-Cross, Fox e Audi A3 sedã. Desde a inauguração, o complexo industrial produziu mais de 2,7 milhões veículos para os mercados interno e externo.


Foto: Divulgação/VW