Na primeira assembleia presencial desde que começou a pandemia da Covid-19, os trabalhadores da fábrica da Anchieta da Volkswagen, localizada São Bernardo do Campo, aprovaram proposta negociada com os sindicatos de metalúrgicos onde a montadora atua, que prevê estabilidade de 5 anos para quem não aderir ao PDV, Programa de Demissão Voluntária, proposto pela montadora.

Válido até 2025, o acordo estabelece índices e formatos para o cálculo da reposição salarial na data-base e da PPR, Programa de Participação nos Resultados, para todo o período. A PPR deste ano foi fixada em R$12,8 mil, valor a ser pago em duas parcelas.

A negociação com a Volkswagen levou quase quatro semanas e foi realizada em conjunto com os sindicatos dos metalúrgicos do ABC, Taubaté e São Carlos, SP, e também São José dos Pinhais, PR. A base do acordo é a mesma, mas com algumas especificidades locais, como é o caso de Taubate, que garantiu a volta dos investimentos na planta do interior paulista.

LEIA MAIS

Anúncio

Acordo vai descongelar investimentos da Volkswagen em Taubaté

Proposta da Volkswagen a sindicatos cita corte de 4,7 mil funcionários

O presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, Wagner Santana, destacou a importância da aprovação do acordo, diante de um cenário econômico instável, sem políticas governamentais que estimulem a retomada da produção.

“Vivemos um momento de incerteza em relação ao futuro econômico do País. Nesse cenário, um acordo que garante estabilidade por cinco anos é muito positivo, inclusive tornando-se referência para o movimento sindical em relação às possibilidades de conquista da classe trabalhadora”.


Além Foto: Divulgação/Smabc