A Renault vai parar de produzir veículos na unidade industrial de Flins, nos arredores de Paris, França, para transformá-la no que prefere chamar de Re-Factory, “a primeira fábrica de economia circular da Europa dedicada à mobilidade”, na verdade um centro de pesquisa, as também de reciclagem.

Parte da estratégia global de transformação do grupo francês, a Re-Factory também em a ambição de ser a primeira instalação do grupo com saldo negativo de CO2 até 2030, sediará as atividades de renovação também da unidade de Choisy-le-Roi. O projeto deve absorver  3 mil funcionários  até o fim da década.

Com a Re-Factory, a Renault acredita que conseguirá obter resposta mais rápidas para problemas de mobilidade, sustentavbilidade e da própria indústria automotiva.

LEIA MAIS

→ Multiplique o Bem, da Renault, arrecada 55 toneladas de alimentos

“A crise climática e as expectativas dos nossos clientes levaram o Groupe Renault a orientar a sua estratégia com fortes ambições de qualidade e durabilidade dos seus produtos, bem como da redução das suas emissões de carbono. A economia circular carrega um potencial de crescimento extremamente poderoso”, declarou Jean-Dominique Senard, Presidente do Conselho de Administração da Renault, nesta quarta-feira, 25.

O processo de transformação de Flins em um centro de pesquisas consumirá três anos, de 2021 a 2024, e envolverá start-ups, entidades acadêmicas, outros  grupos e representantes governamentais.

A nova estrutura, com quatro centros de atividades que abarcarão todo o ciclo de vida do veículo, atuará sobre abastecimento, eco-design, economia de funcionalidade, manutenção, reutilização, remanufatura e reciclagem.

Anúncio

Os centros de atividade:

RE-TROFIT: agrupará atividades que buscam prolongar a vida útil dos veículos e a sua utilização. Em coordenação com a divisão Re-Cycle,  objetiva  garantir  gestão eficiente do fluxo de peças e materiais usados ​​no mesmo local. Integrará ainda  fábrica para o recondicionamento de veículos usados, conversão de veículos térmicos para outras energias menos baseadas em carbono, serviços de reparo para frotas de veículos e nova mobilidade, e um serviço de fabricação de peças raras usando 3D impressoras.

RE-ENERGY: pretende desenvolver o potencial de aplicações decorrentes de baterias elétricas e novas energias à escala industrial (incluindo a otimização da primeira vida de baterias, desenvolvimento de aplicações de segunda vida como armazenamento de energia estacionária, gestão do fim de vida das baterias e desenvolvimento de soluções técnicas e de abastecimento para novas energias como o hidrogênio).

RE-CYCLE: integrando as atividades de Choisy le Roi, reunirá todas as atividades para uma gestão eficiente dos recursos  e integrar  quota crescente de reciclados ou materiais reaproveitados (instalação de linha para desmontagem de veículos em fim de vida, ampliação da remanufatura, reaproveitamento e reciclagem de materiais).

RE-START: abrigará uma incubadora  universidade e centro de formação para desenvolvimneto de know-how industrial, acelerarção, investigação e inovação na economia circular.


Foto: Divulgação