Com desempenho melhor do que o dos veículos novos ao longo do último semestre de 2020, o mercado de veículos usados iniciou o ano com vendas em queda. O total de 1.159.997 unidades negociadas em janeiro é 4,1% inferior ao registrado no mesmo mês do ano passado  ( 1.210.465) e 27,1% abaixo do comercializado em dezembro (1.592.2480.

Esse último comparativo reflete um comportamento tradicional em toda virado do ano, em função das despesas de  das famílias em janeiro e fevereiro, com escolas e impostos. Mas o recuo sobre janeiro de 2020 pode ser um indicativo de desaceleração das vendas no segmento.

“O agravamento da Covid-19 e o esgotamento das redes hospitalares em algumas localidades têm restringido as operações do comércio e impactado os resultados de vendas”, comenta o presidente da Fenabrave, Alarico Assumpção Júnior, lembrando que as concessionárias de algumas regiões, como as de São Paulo, não puderam abrir no último final de semana de janeiro.

Mas o que mais preocupa no momento é o aumento do ICMS para veículos usados no Estado de São Paulo, que representa quase 40% das vendas desse segmento no País. Fenabrave e Sincodiv-SP, inclusive, já abriram ação judicial para tentar reverter a medida, assim como outras entidades do setor e do comércio em geral.

Na avaliação do presidente da Fenabrave, os impactos desse “abusivo aumento do ICMS” devem ser sentidos mais fortemente a partir de fevereiro. “Esse aumento inviabiliza o mercado formal, ameaça o fechamento de empresas, compromete empregos e ainda onera o preço dos carros aos consumidores/contribuintes. Tudo isso em meio a uma pandemia que ainda assola a economia”, criticou Assumpção Júnior.

Anúncio

LEIA MAIS

Fenabrave e Sincodiv entram com ação contra aumento do ICMS em SP

Ano começa com venda de veículos em queda

Todos as categorias de veículos usados tiveram desempenho negativo neste início de ano. No caso dos automóveis e comerciais leves, os negócios em janeiro apresentaram queda de 5,1% na comparação com o mesmo mês do ano passado. Foram 869.169 transações ante as 916.360 do primeiro mês de 2020. Em relação a dezembro do ano passado, o recuo chegou a 27,9%.

Do total comercializado no segmento de veículos leves, os seminovos, com 1 a 3 anos de fabricação, representaram 9,7% das negociações. A relação entre novos e usados ficou em 5,3 automóveis usados para cada 0 km  comercializado no País.


Imagem: Pixabay