A indústria de veículos da Argentina encerrou o primeiro mês do ano em um ritmo bem melhor do aquele verificado um ano antes. Em janeiro, quando se contou 17 dias úteis, a produção de veículos somou 24,3 mil unidades. Embora o resultado represente queda de 19,4% em relação a dezembro, o volume foi 17,5% superior ao anotado no mesmo mês de 2020, quando registrou 20,6 mil veículos.

Também as entregas às concessionárias cresceram. Se em janeiro de 2020 os veículos faturados à rede chegaram a 25,7 mil unidades, no mês passado as lojas receberam 27,3 mil veículos, um alta de 6,1%. Contra dezembro, quando as vendas no atacado anotaram 30,9 mil unidades, a baixa bateu nos 30%. Cabe mencionar, porém, que tradicionalmente o mês de janeiro se apresenta menos comprador.

Nas vendas externas, a indústria argentina embarcou 11,9 mil unidades em janeiro. O volume corresponde a uma baixa de 30,7% em relação a dezembro, com 17,2 mil unidades, mas também um alta de 37,2% se comparado com as remessas de janeiro de 2020, quando forma exportados 8,7 mil veículos.

Anúncio

Para a Adefa, a associação das fabricantes no país vizinho, os resultados obtidos indicam uma tendência positiva para o exercício que se inicia e frutos de um trabalho de diálogo entre a cadeia produtiva e o governo para tomar medidas que promovam o crescimento do setor.

“É importante continuar a trabalhar a fim de promover a produção, exportação e geração de empregos”, disse em nota Daniel Herrero, presidente da Adefa, em que também a importância de um plano de desenvolvimento das autopeças, “pilar fundamental da sustentabilidade da indústria, sobretudo tendo em conta o desafio futuro, especialmente no que se refere a novos motores, que o obrigarão peças de alta qualidade e conteúdo tecnológico.”

LEIA MAIS

Indústria argentina de veículos acelera produção


Foto: Nissan/Divulgação