A DHL anunciou ambicioso plano global de descarbonização de suas atividades. Até 2030, o grupo, um dos maiores do setor de logística, investirá cerca de € 7 bilhões para encaminhar ações que objetivam a neutralidade nas emissões de carbono em 2050, meta estipulada há quatro anos.

Para isso, boa parte dos recursos será destinada a combustíveis alternativos para aviação e para a expansão da frota de veículos elétricos. A DHL quer que a maioria de suas vãs de distribuição e de outros veículos de entregas curtas seja movida a eletricidade já em 2030. Algo como 60%  do total, mais de 80 mil veículos. Em 2020, somente 18% da frota da empresa dispunham da tecnologia.

A eletrificação para rotas mais longas, especialmente no transporte aéreo, é descartadaainda pela DHL, que perseguirá combustíveis produzidos com energias renováveis. A ideia é que perto de um terço dos dos combustíveis consumidos pela empresa no fim desta década tenham origem em fontes sustentáveis.

Anúncio

“Estamos transformando nosso grupo, representado pela cor amarela, em uma empresa verde e fazendo uma contribuição importante para o planeta e a sociedade”, disse Frank Appel, CEO do Deutsche Post DHL Group. ”

A DHL calcula que sem as ações que promoverá com o novo plano de sustentabilidade suas emissões chegariam a 46 milhões de toneladas anuais no fim desta década, quase 40% a mais do  que em 2020,  quando o grupo registrou 33 milhões de toneladas. Agora o empenho é para que menos de 29 milhões de toneladas de CO2 cheguem ao meio ambiente, mesmo com o esperado crescimento da logística global no período.

LEIA MAIS

→ Volvo e DHL iniciam teste com caminhões pesados elétricos

 


Foto: Divulgação