Primeiro a Volkswagen e logo na sequência três montadoras de caminhões — Scania, Volvo e Mercedes-Benz. Nesta quarta-feira, 24, a Nissan foi a quinta fabricante de veículos a oficializar a paralisação de suas linhas de montagem no Brasil por  conta do agravamento do número de mortos e infectados pelo coronavirus.

Segundo a empresa,  a medida “busca garantir a segurança de seus funcionários como parte do esforço de reduzir o impacto da pandemia”.

Cerca de 850 trabalhadores ligados à produção em Resende, RJ, de onde sai a recém-lançada segunda geração do SUV Kicks, estarão em férias coletivas a partir desta sexta-feira, 26, até 9 de abril. As atividades, ocntudo, serão retomadas somente em 12 EM.

O recesso, acrescentou a montadora, objetiva a “adaptar a empresa ao cenário atual dos desafios enfrentados pelo setor automotivo e garantir a continuidade do negócio”.

LEIA MAIS

→ Mercedes-Benz também decide interromper produção

Scania decide parar após negociações com o sindicato

→ Volvo reduz produção na fábrica de Curitiba

→ GM propõe layoff para 600 funcionários de São José dos Campos


Foto: Divulgação