O Grupo BMW anunciou nesta quarta-feira, 12, que atuará para reduzir suas emissões de carbono, CO2, em 200 milhões de toneladas até 2030. A meta, equivalente a cerca de 20 anos de emissões de uma cidade de 1 milhão de habitantes, foi destacada por Oliver Zipse, presidente do Conselho de Administração da BMW AG, durante reunião anual geral da empresa.

A redução se dará com medidas e tecnologias em várias frentes e de forma circular, como a menor pegada de carbono de seus veículos em todo o ciclo de vida, desde a extração da matéria-prima, passando pela produção, utilização e reciclagem após o fim da vida útil.

“Um carro amigo do clima não é criado apenas usando energia verde. Devemos projetar nossos veículos para a sustentabilidade desde o primeiro dia de desenvolvimento, reduzindo a quantidade de material utilizado para fabricá-los e, acima de tudo, planejando o reaproveitamento e a reciclagem desde o início. Diante do aumento dos preços das matérias-primas, isso não é apenas um imperativo ambiental, mas também um imperativo comercial ”, afirmou Zipse.

A montadora planeja produzir veículos mais sustentáveis a partir do meio desta década, utilizando menos rercursos naturais com o aumento da participação de materiais secundários, como aço reciclado, plásticos e alumínio.

Anúncio

Simultaneamente, tem trabalhado para aprimorar a produção de bateria e células de baterias, processo de alto consumo de energia. A produção da próxima geração do componente utilizado nos veículos do grupo exigirá menos da metade da pegada de carbono da linha atual, calcula a BMW, que promete alcançar a neutralidade de carbono em toda suas operações industriais já no fim de 2021.

LEIA MAIS

Fator importante para a descarbonização do grupo será a eletromobilidade. A BMW projeta que metade de suas vendas globais sejade carros elétricos até 2030. Só este ano serão apresentados cinco modelos: quatro da BMW e um da Mini.

“Entre agora e 2025, o BMW Group aumentará suas vendas de modelos totalmente elétricos em uma média de bem mais do que 50% ao ano,  mais de dez vezes o número de unidades vendidas em 2020.”


Foto: Divulgação