A Renault está criando a Renault ElectriCity, divisão que agrupará as unidades industriais de Douai, Maubeuge e Ruitz, localizadas no Norte da França, para a produção de até 400 mil veículos elétricos por ano a partir de 2025.

“Será o maior e mais competitivo centro de produção de veículos elétricos da Europa”, enfatiza a montadora, que estima a criação de de mais 700 empregos diretos nos próximos dois anos, além da manutenção dos atuais 5 mil funcionários das três plantas.

A criação da ElectriCity foi acordada com os sindicatos dos trabalhadores e, além de garantir o futuro das operações, objetiva ainda
criar um parque de fornecedores dos componentes empregados nos veículos elétricos. A montadora que ter ao lado, em particular, uma fábrica de baterias.

A região de Hauts-de-France, afirma a Renault, já possui os ativos necessários para se tornar “referência europeia em termos de know-how e produção do automóvel elétrico”.

Para apoiar o futuro complexo, serão constituídas também parcerias com startups, assim como com universidades para pesquisas e estabelecimento de programas de treinamento adaptados às mudanças no mercado automotivo.

Anúncio

Douai produzirá seu primeiro modelo elétrico, o Mégane E-Vision, já a partir deste ano. O carro foi concebido sobre a nova plataforma modular CMF-EV, que também dará origem, logo em seguida, a um outro veículo para o segmento C. A unidade tem garantida também a montagem de carros do segmento B sobre uma segunda arquitetura.

Maubeuge já produz o New Kangoo, New Kangoo Van para a Renault e as parceiras Mercedes-Benz e Nissan. Será a base produtiva do New Kangoo E-Tech Electric em 2022. Para Ruitz, a Renault reservou a fabricação de componentes elétricos.

LEIA MAIS

→ Renault inicia vendas do novo Zoe

→ Assinaturas podem alavancar vendas e até o carro elétrico no Brasil


Foto: Divulgação