Em período marcado por falta de semicondutores e, em consequência, de veículos para pronta entrega no mercado brasileiro, a indústria automotiva vem mantendo equilíbrio entre as entregas direcionadas ao varejo e as destinadas à venda direta. O que muda este ano é a posição das marcas nesses dois rankings, fruto do grau em que cada montadora está sendo afetada pela escassez mundial de componentes eletrônicos.

A General Motors, como já foi amplamente divulgado, perde posição em todos os rankings por causa da suspensão de suas atividades em Gravataí, RS, onde produz seu carro-chefe, o Onix. Considerando-se os dados do primeiro semestre deste ano, a divisão no varejo é bastante equilibrada entre os quatro primeiro colocados, conforme dados divulgados pela Fenabrave.

A Fiat é líder nos negócios junto ao consumidor final, com 15,6%, seguida da Volkswagen (14,8%), GM (14,1%) e Hyundai (13,5%). Depois vêm Toyota (11,2%), Renault (6,3%), Honda (6%), Nissan (3,5%) e Jeep (3,2%). No primeiro semestre de 2020, quem dominava o ranking do varejo era a GM, com fatia de 20,3%%. A VW era vice-líder, com 14,3%, seguida da Hyundai, com 10,3%. A Fiat aparecia na quinta colocação, depois da Toyota, com fatia de 9,7%.

Do total de 1.006.685 emplacamentos dos primeiros seis meses do ano, 56,7%, ou 435.894 unidades, foram comercializadas no varejo. Os restantes 43,3%, equivalentes a 435.894 unidades, foram vendas diretas, que envolve negócios no atacado, para produtores rurais e público PcD (pessoas com deficiência).

Curioso é que neste ano o crescimento nesses dois casos é exatamente igual, de 39,1%, reflexo da idêntica participação de cada modalidade no acumulado do ano.

Anúncio

Ao contrário do varejo, que mantém concorrência acirrada no topo do ranking, as diferenças em pontos porcentuais nas vendas diretas são bem mais acentuadas entre as primeiras colocadas. A Fiat domina com ampla margem de vantagem, respondendo por 30,9% das transações do gênero no País. No primeiro semestre de 2020 também estava no topo desse ranking, mas com fatia de 20,2%.

LEIA MAIS

Fenabrave revisa para baixo projeção de venda de veículos leves

Falta de veículos provoca queda nas vendas em junho

A Volkswagen é vice-líder no atacado este ano, com 18,5%, seguida da Jeep, com 12,7%, GM (10,4%), Renault (7,8%), Hyundai (4,2%) Toyota (3,4%) Nissan (2,9%) e Peugeot (1,8%). Nos primeiros seis meses de 2020, a Volkswagen detinha 18% das vendas diretas e a GM, 14%. A Ford, que no início deste ano suspendeu a produção de automóveis no Brasil, vinha em quarto lugar, com 8,9%.

Os modelos mais emplacados no varejo este ano foram Hyundai HB20, Chevrolet Onix e Fiat Argo entre os automóveis, e Fiat Toro, Strada e Toyota Hilux entre os comerciais leves. Já no atacado ficaram nas três primeiras colocações, respectivamente, Jeep Renegade, VW Gol e Jeep Compass e Strada, Toro e Saveiro.