Favorecido pela maior procura por transporte individual a partir da eclosão da Covid-19, o segmento de scooters é o que apresenta maior índice de crescimento no mercado de veículos duas rodas este ano, conforme dados divulgados pela Abraciclo esta semana.

A demanda pelo produto teve expansão de 59,2% no acumulado dos primeiros sete meses, com total de 61.677 emplacamentos, ante os 38.740 de idêntico período de 2020. O modelo teve sua participação ampliada de 8,9% para 9,8% nas vendas totais de motocicletas no País,  com tendência de a demanda pelo produto continuar em alta nos próximos meses.

“É o segmento que mais cresce, com participação já bem próxima de 10%”, reforça o presidente da Abraciclo, Marcos Fermanian, que atribui a procura elevada pelo produto às suas características de uso. Na classificação da entidade, o scooter é um motociclo de câmbio automático ou semiautomático, concebido para privilegiar o conforto.

De acordo com Fermanian, o modelo atende, em especial, o consumidor que quer fugir do transporte coletivo por causa da pandemia sem gastar muito tanto na compra do veículo como com combustível e manutenção.

“A procura elevada no nosso segmento tem a ver com essa mudança de comportamento do brasileiro e também pela alta do delivery, que favorece a categoria Street, das motos de baixa e média cilindradas, que têm procura elevada atualmente por causa do maior número de entregas nos grandes centros urbanos”.

Enquanto o segmento de scooters cresceu 59,2% este ano, o mercado total de motocicletas teve elevação de 44,7%, totalizando 629.692 emplacamentos de janeiro a julho, número que ficou em 435.289 nos primeiros sete meses de 2020.

LEIA MAIS

Mercado de motos reage, mas oferta continua aquém da demanda

Anúncio

Abraciclo revê projeção e prevê superar produção pré-pandemia

Por categoria, a líder do mercado é a Street, que teve 55.567 unidades comercializadas em julho, com participação de 49,4%. de participação no mercado. Na sequência do ranking vêm a Trail, também motos de baixa e média cilindradas mas com características para uso misto (21.547 unidades e 19,1% do mercado), a Motoneta (17.295 unidades e 15,4%) e a Scooter (veja tabela abaixo).


Foto: Divulgação/Honda