Pesquisa conjuntural do Sindipeças relativa aos primeiros oito meses do ano indica que o setor segue expandindo negócios em todas as suas áreas de atuação. O faturamento líquido nominal apresentou alta de 6,8% no comparativo de agosto com julho e de 52,2% em relação à idêntico mês de 2020.

Nesse contexto, a indústria de autopeças ampliou o quadro de emprego pelo 14º mês consecutivo. A criação de postos de trabalho exibiu variação de 0,85% em agosto com relação a julho e houve alta de 11% em base interanual e de 0,81% no acumulado de 12 meses, o que reforça projeção do Sindipeças de encerrar este ano com quadro superior ao de 2020, em torno de 238 mil funcionários.

As vendas para as montadoras cresceram 6,8% no comparativo mensal  e 59,5% considerando a soma de 12 meses. No período janeiro a agosto, a evolução chega a 95,7% sobre idêntico intervalo de 2020, mas o Sindipeças considera a avaliação de 12 meses uma medida melhor para compreender a trajetória do setor.

É que entre abril e julho de 2020 as montadoras e as autopeças chegaram a parar por completo a produção em alguns momentos, por causa da eclosão da pandemia da Covid-19 no País, o que refletiu em redução do quadro de mão de obra no setor.

Anúncio

Na avaliação de agosto sobre julho, os negócios no mercado de reposição evoluíram 2,4%. A menor oferta de veículos novos tem impulsionado as vendas de seminovos e usados, garantindo desempenho favorável no aftermarhet, conforme destacado na pesquisa conjuntural da entidade. No acumulado do ano, o crescimento chega a 50,4%.

Com relação às exportações, houve expansão tanto em dólares com em reais de, respectivamente, 6,6% e 8,6% em agosto com relação ao mês anterior. No acumulado do ano, o desempenho positivo é de 55,1% em dólares e 67,9% na moeda brasileira.

No cômputo do faturamento líquido total do setor, verifica-se crescimento de 82% no acumulado do ano e de 55,2% no comparativo de 12 meses. O uso da capacidade instalada se manteve ao redor de 72% pelo segundo mês consecutivo.