Por Décio Costa | decio@autoindustria.com.br

No mês passado as vendas de automóveis importados das dezesseis marcas associadas à Abeifa somaram 3.237 unidades, volume que representou queda de 6,4% em relação a março, mas expansão de 58,4% na comparação com o mesmo período de 2017, quando foram emplacadas 2.044 unidades.

No acumulado de janeiro a abril, as 11.696 unidades licenciadas representaram uma variação positiva de 43,9% sobre o volume registrado um ano antes, de 8.128 unidades.

Durante divulgação dos números da Abeifa, na quinta-feira, 3 de maio, José Luiz Gandini, presidente da associação reforçou a trajetória de crescimento do segmento de importados, como um renascimento das importadoras no mercado. “Ninguém vai fazer milagre, continuaremos a trazer o nicho de mercado.”

Gandini conta que as marcas associadas à Abeifa deverão abrir mais 38 concessionárias no País em 2018 e fechar o período com rede de 500 lojas, o que deverá gerar mais 5.000 empregos diretos. Em 2011, no auge do mercado de automóveis, as filiadas da associação somavam 850 pontos e perderam, de lá para cá, 450 estabelecimentos.

Leia mais

→Mercado de importados mantém trajetória de alta

→Importadores continuarão atuando em nichos

→Venda de importados fecha o ano com queda de 17%

Anúncio

Apesar da certeza da trajetória de recuperação, o presidente da Abeifa se mostra preocupado com a curva ascendente do câmbio, o que pode comprometer a estimativa de 35% de crescimento em 2018, para 40.000 unidades vendidas.

“Não temos mais os 30 pontos porcentuais no IPI imposto pelo Inovar-Auto, mas alta do câmbio preocupa. As projeções foram feitas em cima de um dólar a R$ 3,20 e não de R$ 3,55 como hoje”, justifica Gandini. “Não vejo como as marcas não repassarem os preços para cobrir os custos maiores. Vale lembrar que compramos hoje para receber daqui 60 dias.”

Produção nacional – As marcas associadas à Abeifa que operam fábricas no País (BMW, Caoa Chery, Jaguar Land Rover e Suzuki) contabilizaram em abril 1.816 emplacamentos, altas de 6,2% em relação a março e de 61% na comparação com o mesmo mês do ano passado, quando as vendas somaram 1.128 unidades. No acumulado dos quatro primeiros meses, o crescimento foi de 51%, para 6.316 veículos vendidos.

No ranking das cinco marcas da Abeifa que mais venderam de janeiro a abril, a Kia é disparada a líder, com 4.115 unidades negociadas, desempenho que representou alta de 66,5% em relação ao mesmo período do ano passado. Depois dela aparece a Volvo, com 1.631 unidades vendidas, alta de 70,3%; a JAC, com 1.430 veículos emplacados, expansão de 28,9%; Lifan, com 959 emplacamentos, crescimento de 34,1%; e BMW, que cresceu no período 44,7% com 800 unidades vendidas.


Foto: Kia Motors/Divulgação