Com crescimento abaixo da média do mercado interno de veículos, o consórcio está perdendo espaço nas compras a vista este ano para outras mobilidade de crédito, como o CDC, Crédito Direto ao Consumidor, e leasing.

De janeiro a agosto deste ano o sistema de consórcio liberou créditos da ordem de R$ 21,95 bilhões, o equivalente a 21,5% do total de R$ 102 bilhões concedidos pelo sistema financeiro para a compra financiada de veículos. No mesmo período do ano passado, esse índice era de 25,1%, ou seja, o consórcio perdeu 3,6 pontos porcentuais de participação no período.

LEIA MAIS

Consórcio de veículos segue em expansão

Negócios acelerados no consórcio de pesados

Consorciado mantém preferência por seminovo

O balanço do setor, que leva em conta dados do Banco Central, foi divulgado na terça-feira, 23, pela Abac, Associação Brasileira das Administradoras de Consórcio. O consórcio liberou nos primeiros oito meses do ano passado algo próximo de R$ 21,3 bilhões de um total de R$ 84,8 bilhões concedidos por todo o sistema financeiro para o segmento de veículos.

Anúncio

Segundo a Abac, há hoje 6 milhões de participantes ativos consolidados nesse segmento, que inclui automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus e motocicletas. A venda de novas cotas nos primeiros oito meses deste ano foi 8,3% superior à do mesmo período do ano passado. Houve 1 milhão 425 mil adesões, ante o total de 1 milhão 316 mil de janeiro a agosto de 2017.

O volume de créditos comercializados via consórcio no mercado de veículos atingiu R$ 42,8 bilhões até agosto, alta de 6% sobre os R$ 40,4 bilhões do mesmo período do ano passado. O único dado negativo no balanço do ano é o número de contemplações, que caiu de 747,8 mil no ano passado para 726,5 mil este ano, menos 2,8%.


Imagem: Divulgação/Pixabay