Com o objetivo de fazer frente à redução nos volumes de veículos exportados a partir do Brasil para a Argentina, a Volkswagen do Brasil concedeu férias coletivas de 20 dias, a partir da segunda-feira, 28, para parte dos empregados da fábrica de Taubaté, onde são produzidos os modelos Up!, Gol e Voyage.

De acordo com a Volkswagen, a empresa está pontualmente utilizando ferramentas de flexibilização da produção por causa da forte retração das vendas no mercado argentino, principal comprador dos seus veículos.

As férias coletivas envolvem 1,2 mil trabalhadores e a produção, segundo o Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté, passou a ser a metade do normal naquela fábrica, baixando de 900 para 450 unidades/dia. Boa parte do que é fabricado lá destina-se ao mercado externo.

LEIA MAIS

Trabalhadores da Renault conquistam PLR de R$ 25,5 mil

Livre comércio entre Argentina e Brasil fica para 2029

Anúncio

Indústria automobilística argentina segue no vermelho intenso

Além de ter concedido férias coletivas sem Taubaté, a Volkswagen estuda a implantação de regime de layoff – suspensão temporária do contrato de trabalho – em sua fábrica de São Bernardo do Campo, no ABC paulista. Segundo a empresa, a adoção ou não de tal medida depende do comportamento das exportações para a Argentina neste final de ano.

O Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, no entanto, adianta que o layoff deverá envolver 1,4 mil funcionários, com validade a partir de 2 de janeiro até maio ou junho, de acordo com a evolução das exportações da montadora.


Foto: Divulgação/Taubaté