Mais uma baixa nas atrações do Salão do Automóvel de São Paulo, que acontecerá em novembro: a Kia Motors do Brasil anunciou que não participará da edição que comemorará 60 anos. A importadora participou de catorze das 31 edições da mostra.

A empresa alega que decidiu adotar “estratégias de marketing mais próximas aos consumidores finais, por meio do crescimento e do fortalecimento da rede autorizada de concessionárias”.

“2020 será um ano muito importante para a Kia Motors, que terá três lançamentos. O primeiro foi o hatch compacto Rio, no mês passado. Na sequência, apresentaremos o Niro Hybrid e, mais para o final do ano, um novo SUV compacto”, afirmou o presidente José Luiz Gandini.

“Nossa prioridade é ampliar e fortalecer a rede de concessionárias, com mais quinze novos pontos de atendimento em todo o País. Diante dessa nova realidade, optamos por oferecer experiências práticas aos potenciais compradores de automóveis.”

Na avaliação de Gandini, “o Salão do Automóvel, por muitos anos, foi o evento automotivo mais importante do ano. No entanto, a realidade da comercialização de automóveis mudou radicalmente. ”

Anúncio

Os compradores passaram a conhecer os produtos por meio de plataformas digitais. Por isso, precisamos oferecer mais experiências, além de inovações tecnológicas, diante de um dos setores mais competitivos da economia.”

A Kia, pondera Gandini, “não está fechando as portas ao Salão”. Em novos formatos, a empresa pode reavaliar o evento, assegura.

Com a desistência da coreana, já são quinze as marcas que cancelaram a presençano Salão do Automóvel, além de outras que ainda dizem estar avaliando a participação.

Também nesta terça-feira (18), a Volkswagen afirmou que não participará do evento, caso não tenha um novo formato mais atraente e a participação de todas as marcas.

LEIA MAIS

→ Sem novo formato, VW também ficará fora do Salão do Automóvel

→ China adia Salão de Pequim


Foto: Divulgação