Embora a confirmação oficial só deva ocorrer na sexta-feira, 6, já está decidido que não haverá mais o Salão do Automóvel deste ano, até então programado para o período de 12 a 22 de novembro no São Paulo Expo. Vários fatores contribuíram para a decisão, principalmente a desistência de pelo menos 15 marcas, dentre as quais General Motors, Toyota e Hyundai, em função principalmente dos elevados custos do evento.

Em nota sucinta, a Reed Exhibitions Alcantara Machado, organizadora do Salão, informou que “mantém os entendimentos com a Anfavea e terá novidades nos próximos dias. A Anfavea, por sua vez, disse que o tema será abordado na coletiva mensal de divulgação do balanço do setor nesta sexta-feira, que terá a participação de representantes da Reed.

Em reportagem publicada na quarta-feira, 4, a Quatro Rodas informou com exclusividade sobre o adiamento do evento para o próximo ano, revelando que as partes interessadas teriam se reunido naquele dia para discutir detalhes sobre como seria o salão de 2021. Dentre outros fatores que teriam contribuído para o adiamento estariam o coronavírus e a alta do dólar.

LEIA MAIS

Kia é a 15a marca a desistir do Salão do Automóvel de São Paulo

Sem novo formato, VW também ficará fora do Salão do Automóvel

Anúncio

Apesar das desistências, Reed confirma Salão do Automóvel

Só o Grupo HPE, que representa as marcas Mitsubishi e Suzuki, chegou a reconhecer que os altos custos envolvidos na mostra contribuíram para a marca desistir de participar da edição deste ano. Essa questão, no entanto, já tinha sido amplamente comentada nos bastidores do último salão, em 2019, por representantes de diferentes montadoras.

A Volkswagen não chegou a desistir oficialmente de participar da mostra, mas o presidente e CEO da empresa na América Latina, Pablo Di Si, deixou claro por ocasião do lançamento do Virtus GTS no mês passado que se não houvesse mudanças em seu formato, também a marca estaria fora do evento.

“O formato atual tem de ser mudado”, destacou Di Si durante o lançamento do Virtus GTS na fábrica de motores da marca de São Carlos, SP, nesta terça-feira, 18. “O salão tem de ser mais dinâmico, mas digital e possivelmente menor do que as edições anteriores. O consumidor tem de estar mais próximo dos veículos e os expositores teriam de aproveitar a mostra também para vender”, comentou Di Si na ocasião.


Foto: Divulgação/Reed Exhibitions