Encerrado o primeiro trimestre do ano, as fabricantes de veículos passam a contabilizar os impactos provocados pela pandemia do novo coronavírus no mercado automotivo. Balanço do desempenho de vendas globais da Mercedes-Benz divulgado na quarta-feira, 8, registra 477,3 mil carros entregues, uma queda de 14,9% no período quando comparado aos três primeiros meses do ano passado.

Declínio igual, de 14,9%, também anotou o negócio de comerciais leves, com 64,5 mil unidades vendidas de Cito, Vito e Sprinter.

Para a empresa o resultado decepciona especialmente porque o ano começou com aumentos significativos nas entregas globais. “Conseguimos aumentar as vendas no início do ano, principalmente em janeiro. Mas o impacto da crise provado pelo novo coronavírus enfraqueceu seriamente vendas e, portanto, não atingimos nossas metas no primeiro trimestre”, conta em nota Marcus Breitschwerdt, chefe de Vans Mercedes-Benz.

De acordo com a companhia, a situação desafiadora fortaleceu os atendimentos online, em especial as entregas de peças e serviços de emergência, com destaque para o papel do Centro Global de Logística da fabricante, em Germersheim, Alemanha, responsável pelo envio de componentes para os pontos de serviços da marca de todo o mundo.

Anúncio

“As repercussões do coronavírus afetam a todos e continuarão conosco nas próximas semanas. Tomamos medidas para proteger clientes e funcionários desde o início e, juntamente com parceiros globais de varejo, fortalecemos ainda mais as atividades online. Não perdemos de vista nossos objetivos e continuamos a trabalhar em planejamento estratégico e projetos futuros, para que possamos voltar rapidamente aos trilhos após a crise”, afirma Britta Seeger, membro do Conselho de Administração da Daimler e Mercedes-Benz responsável por marketing e vendas.

LEIA MAIS

→Daimler anuncia nova estrutura corporativa

→Daimler apura lucro líquido 64% menor em 2019


Foto: Mercedes-Benz/Divulgação