A fábrica da Volvo em Curitiba (PR) aumentará a produção de veículos comerciais a partir do próximo mês. O atual ritmo diário em torno de 50 caminhões pesados e 17 leves passará a ser de 76 e 27, respectivamente. Também a linha de ônibus retoma a atividade em duas unidades por dia.

A programação coincide com a aprovação da maioria dos empregados pela proposta de data-base negociada entre o Sindicato dos Metalúrgicos da Grande Curitiba e a fabricante. Em votação online realizada na segunda-feira, das 8h às 18h, 1.702 votos (74,45%) dos 2.286 registrados foram favoráveis ao acordo.

Segundo o sindicato, na negociação aprovada fica estabelecido reajuste nos salários, piso e grade salarial em 100% da inflação do INPC (2,94%), o vale-mercado passa a ser de R$ 760 mensais, aumento de quase 10%, e o pagamento de duas parcelas restantes do adiantamento do Programa de Participação nos Resultados (PPR) de 2020, totalizando R$ 8 mil. Em setembro de 2021, nova reposição pelo INPC mais aumento real de 1% no piso, grade salarial e vale-mercado.

“Essa proposta só aconteceu graças ao momento em que vive o setor de caminhões no Brasil e pelo objetivo da representação sindical dos trabalhadores da Volvo em centralizar na recuperação do poder aquisitivo dos salários, além da reposição do vale mercado”, destacou em nota Sérgio Butka, presidente do sindicato.

Anúncio

De acordo com a entidade, atualmente por volta de 1,4 mil trabalhadores, a maioria da produção, cumpre expediente na fábrica. Outros 1,4 mil administrativos estão em home-office e em torno de 200 empregados da produção se encontram com contratos de trabalho suspensos, com retorno previsto para 1° de outubro. Há ainda cerca de 60 pessoas do grupo de risco afastadas.

LEIA MAIS

→Volvo: 100 mil caixas I-Shift produzidas no País.

→Volvo amplia gama de semipesados com o VM City

→Volvo fecha acordo com trabalhadores


Foto: SMC/Divulgação