Se é uma bolha decorrente da demanda reprimida do período que marcou o auge das medidas de isolamento social ou se é uma retomada efetiva do mercado ainda ninguém sabe. Certo é que as vendas de veículos continuaram em alta em novembro, batendo novo recorde no ano.

Segundo fonte do varejo que teve acesso aos dados do Renavam, foram emplacadas 225.030 unidades no mês passado, incluindo automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus. O total representa crescimento de 4,6% sobre os 215 mil licenciamentos de outubro.

Ainda é um número 7,6% inferior em relação ao registrado em novembro de 2019, quando foram comercializadas 242,3 mil unidades, mas está acima das vendas de janeiro e fevereiro deste ano, antes da pandemia chegar ao País.

No segmento de leves, as vendas atingiram 214.032 unidades em novembro, alta de 4,3% sobre outubro e recuo de 7,3% sobre o mesmo mês do ano passado. Considerando leves e pesados, o mercado ultrapassou 1,8 milhão de veículos no acumulado dos 11 meses, com queda de 28,2% em relação aos 2,52 milhões de licenciamentos do mesmo período de 2019.

Anúncio

A queda no ano, portanto, deve ficar próxima do previsto pela Anfavea e a Fenabrave entre agosto e setembro, mas abaixo das projeções feitas em abril/maio que indicavam retração próxima de 40% no mercado automotivo em 2020.

Somente na quarta-feira, 2, a Fenabrave divulgará o balanço oficial da entidade, com números de vendas diretas e no varejo. Mas já é sabido que as montadoras não estão conseguindo atender as demandas das locadoras, que têm entregas postergadas para o início do ano que vem.


Foto: Divulgação/Ford