O Grupo Tranton, controladora das marcas MAN, Scania e Volkswagen Caminhões e Ônibus, apurou de seu melhor desempenho no primeiro trimestre de 2021 desde que foi criado no segundo semestre de 2018, ao somar mais de 81,7 mil pedidos de caminhões e ônibus, um crescimento de 51% em relação ao mesmo período do ano passado, de 54,1 mil encomendas. do volume, 78,7 mil representaram caminhões, em alta de 65%, 3 mil ônibus, queda de 46%.

As entregas efetivas aos mercados nos quais atua acumularam nos três primeiros meses 60,3 mil veículos ante 45,9 mil negociados um ano antes, variação positiva de 31%. O resultado foi impulsionado pela demanda de caminhões, cujas vendas cresceram 36% em todas as regiões, para 57,2 mil unidades.

Se destacaram os desempenhos na América do Sul, onde obteve alta de 56%, com 16,9 mil unidades vendidas, dos quais 14,4 mil no Brasil, o que representou expansão de 50%, e na Europa, onde anotou aumento de 24% com 29,9 mil caminhões.

“Há um ano, vimos a rapidez com que a pandemia atingiu o setor de veículos comerciais. Agora, vemos os pedidos de nossos clientes aumentarem novamente com a mesma rapidez”, resumiu em nota Matthias Gründler, CEO da TRATON. “Uma das razões para isso é a qualidade da recepção das novas gerações de caminhões pelos clientes. 81.700 pedidos em apenas um trimestre é o melhor resultado que o Grupo Traton alcançou até agora.”

Anúncio

Com o balanço consolidado no período, a receita de vendas da controladora alcançou € 6,5 bilhões, valor 15% superior ao obtido no primeiro trimestre do ano passado, de € 5,7 bilhões. O lucro operacional ajustado do Grupo triplicou para € 516 milhões ante € 161 milhões apurados um ano antes. O retorno operacional ajustado sobre as vendas aumentou 5 pontos percentuais para 7,9%. A empresa reforça que todos os indicadores-chave de desempenho já ultrapassaram os valores observados no primeiro trimestre de 2019, ultrapassando o nível informado antes da eclosão da pandemia Covid-19.

A companhia revisou as perspectivas para o ano fiscal atual para cima. O Grupo espera que retorno operacional sobre as vendas deva variar entre 5,0 e 7,0% (antes da revisão era de 5,0 a 6,0%). Estima ainda que o fluxo de caixa líquido no segmento de Negócios Industriais fique entre € 500 milhões e € 700 milhões para o ano corrente.

LEIA MAIS

→Grupo Traton fica mais próximo de comprar a Navistar