Por Redação

A Ford decidiu ampliar o investimento em veículos elétricos para US$ 11 bilhões até 2022, mais do que o dobro do anunciado no final de 2015, de US$ 4,5 bilhões até 2020. A empresa programa, agora, o lançamento de 40 modelos híbridos ou totalmente elétricos na sua linha global, conforme anunciou Bill Ford, presidente do conselho da empresa, durante a coletiva de imprensa do Salão de Detroit.

O novo aporte inclui os custos de engenharia, pesquisa e desenvolvimento de arquiteturas específicas para carros eletrificados. Dos 40 veículos programados, 16 serão totalmente elétricos e os demais híbridos plug-in. Um deles, segundo a Ford, será um utilitário esportivo elétrico de alto desempenho, chamado Mach 1, que chega ao mercado em 2020, quando também vai iniciar a produção de uma versão híbrida da picape F-150 nos EUA.

A estratégia de eletrificação da empresa, de acordo com o presidente do conselho, é levar essa tecnologia para os seus principais modelos: “Se queremos ser bem-sucedidos com a eletrificação, temos que fazê-lo com veículos que já são populares”.

Anúncio

A Ford intensificou ações nesse sentido há pouco mais de sete meses, quando Jim Hackett assumiu como CEO e presidente da Ford. Em outubro ele anunciou para investidores um amplo plano de redução de custos para tornar a empresa mais eficiente, incluindo o redirecionamento de investimentos antes destinados a sedãs e motores a combustão para carros e utilitários híbridos e elétricos.

Naquele mesmo mês, a montadora estadunidense criou o Time Edison, uma equipe especializada para acelerar o desenvolvimento da sua nova geração de veículos elétricos. Dirigida por Sherif Marakby, vice-presidente de veículos elétricos e autônomos da Ford, ela tem como missão a criação de experiências e serviços focados no cliente e parcerias com outras empresas.


Foto: Divulgação/Ford