Após encontrar-se na véspera do Carnaval com o vice-presidente da República, Hamilton Mourão, em Brasília, e também com o governador de São Paulo, João Doria, na capital paulista, o presidente do Sindicato dos Metalurgicos do ABC, Wagner Santana, prepara-se para uma reunião com dirigentes mundiais da Ford, marcada para esta quinta-feira, 7, em Dearborn, nos EUA.

O tema é o fechamento da fábrica de São Bernardo do Campo, SP, anunciada no dia 19 de fevereiro em pleno processo de negociação quanto a investimentos para a produção de novos modelos na planta do ABC paulista.

No mesmo dia em que os dirigentes do sindicato se encontram com os governo federal e paulista, na sexta-feira, 1, os trabalhadores da Ford realizaram plenária na sede da entidade para discutir os encaminhamentos e as estratégias na luta pela permanência da montadora e em defesa dos empregos em São Bernardo.

LEIA MAIS

Caoa confirma interesse na operação da Ford em SBC

Há três interessados na compra da fábrica da Ford, diz Doria

No ano de seu centenário no Brasil, Ford fechará São Bernardo do Campo

Anúncio

Nova plenária está marcada esta quinta-feira, às 9h, quando os dirigentes sindicais estarão na matriz da Ford. “Não tenho nenhuma outra expectativa que não seja a reversão da decisão. É isso que vamos buscar no encontro nos Estados Unidos”, disse Santana após encontro com autoridades brasileiras.

“Temos que demonstrar qual é a extensão do anúncio de fechamento da Ford e o tamanho da violência, não só com relação aos trabalhadores, mas de todos aqueles que dependem desses trabalhos. São famílias inteiras, filhos, pais, mães. Estamos falando de 70 mil a 100 mil pessoas atingidas por essa decisão”, ressaltou o sindicalista.

Com relação ao encontro com o governo de São Paulo, Santana definiu a conversa como produtiva. “O governador nos garantiu que está comprometido em buscar soluções para a manutenção dos empregos e da planta da Ford em São Bernardo do Campo”.

Também participaram da reunião com João Doria o ex-presidente do sindicato, Rafael Marques Da Silva Junior, o trabalhador da Ford, Vagner Batista, o diretor da entidade, Alexandre Colombo, e o prefeito de São Bernardo, Orlando Morando.


 

Foto: Divulgação/SMABC/Adonis Guerra