Embora de indiscutível necessidade para o abastecimento de mercadorias nas cidades, também o transporte rodoviário de carga tem sua fatia de responsabilidade na busca por soluções na mobilidade dos grandes urbanos. Como um dos eventos paralelos na 22ª Fenatran, de 14 a 18 de outubro no São Paulo Expo, o New Mobility Logistics lançará mais luzes a respeito do tema, além da exposição.

Em arena dedicada, representantes de empresas e especialistas da área debaterão o assunto, com apresentações de novas soluções e tecnologias voltadas para o segmento de distribuição de carga. O projeto é remanescente do mais recente Salão do Automóvel do São Paulo, no ano passado, e alinhado com que ocorre em feiras de negócios mundo afora, como o Salão de Hanover.

“O transporte de carga passa por transformações com inovações no campo da conectividade, das energias alternativas, da direção autônoma e da logística urbana”, diz Leandro Lara, diretor de portfólio de mobilidade da Reed Exhibitions Alcantara Machado, a empresa organizadora. “A Fenatran deste ano estará embasada nos pilares: exposição, geração de negócios e conteúdo e experiência.”

Como ocorreu no evento de 2017, os visitantes mais uma vez poderão testar os veículos na área externa do evento. De acordo com Lara, a empresa se debruça na criação de um circuito de 2 quilômetros para avaliações de caminhões e veículos comerciais leves. “Scania, Mercedes-Benz, PSA Peugeot Citroën já confirmaram participação.”

LEIA MAIS

→Fenatran da retomada

→Anfir divulga balanço dos negócios externos na Fenatran

Anúncio

→Meritor estreia na Fenatran e em novo segmento

Como a principal feira de negócio do setor de transporte rodoviário de carga da América Latina, a Reed também criou para o evento o que chamou de Super Agenda de Negócios. Trata-se de aplicativo que conectará visitantes e expositores. A tecnologia adianta interesses e necessidades de cada um deles, permitindo conversas mais objetivas nos encontros.

“A ideia é que nossos visitantes tenham a melhor experiência possível para gerar negócios no evento. Aos conectarmos os interesses, o comprador receberá recomendações personalizadas dos produtos oferecidos pelos expositores”, conta Lara. “Na Fenatran anterior foram movimentados R$ 4 bilhões em negócios. Na ocasião, por volta de 81% dos visitantes encaminharam ou realizaram compras na própria feira, o que nos faz ter expectativas positivas a reboque do crescimento da indústria.”

Com a trajetória de recuperação do mercado de veículos comerciais, os organizadores estimam promover resultados ainda mais satisfatórios em relação aos apresentados no evento de 2017, quando a exposição foi considerada pelos expositores como a da retomada. Para esse ano, a Reed espera um crescimento de 30% no número de expositores, para algo entre 420 e 430 empresas, além de aumento de 13% de público, em torno de 60 mil visitantes.

“Já temos 400 marcas confirmadas. Em um dos melhores anos da indústria de caminhão, em 2013, estiveram presentes na feira 370 marcas”, lembra Paulo Octávio Pereira de Almeida, vice-presidente da Reed. “Contaremos também com a presença de mais dez empresa de implementos e aumento nas de serviços de monitoramento.”


Foto: Volvo/Divulgação