A Volvo renova programa de investimento na América Latina, em especial no Brasil, com o aporte de mais R$ 1 bilhão para o período de 2020 a 2023. O valor é adicional aos R$ 250 milhões que seriam consolidados somente neste ano, anunciados no início de 2019. Com o novo ciclo, os recursos aplicados pela empresa na região somarão R$ 2,25 bilhões em seis anos.

De acordo com Wilson Lirmann, presidente do Grupo Volvo América Latina, durante apresentação de balanço dos resultados de 2019, na quarta-feira, 5, o investimento será alocado em todos os negócios da empresa, principalmente em pesquisas, produtos, processos industriais e desenvolvimento de novos fornecedores. “O pacote envolve motores, caminhões, ônibus, indústria 4.0, bem como questões legais que exigem novas tecnologias, como a entrada em vigor do Euro 6, em 2023.”

A decisão por novo desembolso ocorre logo após a operação na região fechar contas recordes no ano passado, com entregas de mais de 20,6 mil veículos na América Latina e o Brasil respondendo por 82% dos volumes. No mercado brasileiro, a marca encerrou o período na liderança de vendas de caminhões pesados com 14,5 mil unidades, crescimento de 58,7% em relação ao exercício anterior, quando acumulou 9,1 mil caminhões.

Resultados recordes

“Foi o melhor ano de nossa história em pesados, o que consolida nossa liderança em caminhões pesados na década”, reforça Lirmann. “O resultado, além ter sido maior do que crescimento médio do segmento, de 48,7%, colocou o Brasil novamente como o segundo maior mercado da empresa no mundo.”

Anúncio

O crescimento anotado nas vendas resultou também em faturamento recorde da operação brasileira de R$ 9,3 bilhões, 13% maior em comparação ao obtido em 2018.

Segundo o represente da Volvo, o desempenho positivo tem contribuição decisiva da linha FH, especialmente da versão 540 6×4. Do volume total de caminhões entregue pela fabricante no mercado interno, 7,1 mil unidades foram de emplacamentos do modelo.

“O FH540 não é o caminhão mais barato do segmento, mas proporciona o melhor TCO. O transportador hoje faz conta e, por ela, confirma que segurança e tecnologias que garante baixo custo operacional valem a pena”, diz Alcides Cavalcanti, diretor comercial de caminhões Volvo no Brasil.

A empresa destaca as vendas de semipesados e ônibus como impulsos importantes no resultado. No primeiro caso, as vendas da linha VM cresceram 55% sobre 2018, para 2,3 mil caminhões. No segundo, na mesma base de comparação, os negócios de ônibus evoluíram 73%, com 744 chassis entregues.

LEIA MAIS

→Volvo leva a melhor dentre os pesados

→Volvo FH540 responde por 7% das vendas de caminhões no País


Foto: Volvo/Divulgação