As japonesas Toyota e Hino Motors assinaram acordo de desenvolvimento de caminhão movido a célula de combustível, especialmente para atender ao transporte rodoviário de carga. Ambas as empresas têm metas ambiciosas de redução de CO2 até 2050 e entendem que um dos caminhos é eletrificação de veículos comerciais, responsáveis por 60% do total de emissão de gases de efeito estufa no Japão.

Ao mesmo tempo que pretende mitigar as emissões, o projeto busca entregar os mesmos atributos encontrados nos atuais caminhões pesados, como capacidade de carga, reabastecimento rápido e autonomia. Colocados na balança, acreditam as empresas, a célula de combustível é a tecnologia com maior potencial para promover eficiência energética sem perder rentabilidade e produtividade na estrada.

A base de desenvolvimento parte do caminhão Hino Profia. O chassi do modelo foi reprojetado para acomodar a célula de combustível e o trem de força deriva da nova geração do Toyota Mirai, sedã da marca movido a hidrogênio. De acordo com as fabricantes, a autonomia do veículo deverá ser em torno de 600 km.

Anúncio

LEIA MAIS

→Scania inicia teste com caminhões a célula de combustível

→Cummins apresenta caminhão movido a célula de combustível

→Iveco produzirá o Nikola Tre na Alemanha

→Renault terá utilitários elétricos com uso de hidrogênio


Foto: Toyota/Divulgação