O mercado de veículos leves teve crescimento de 7% em maio sobre abril, com pouco mais de 175,5 mil emplacamentos, ante os 163,9 mil do mês anterior. No acumulado dos primeiros cinco meses as vendas atingiram 837 ,1vmil unidades, expansão de 30,7% sobre as 661.757 do mesmo período do ano passado. Vale lembrar que houve forte retração entre março e maio de 2020 por causa das medidas de isolamento social impostas pela Covid-19.

A Fiat segue firme na liderança e atingiu participação de 23% no mês passado, com 40.490 licenciamentos. A Volkswagen manteve-se na segunda colocação, com fatia de 16,6% e 29220 unidades comercializadas. Já a General Motors, na terceira posição emplacou apenas 17,3 mil automóveis e comerciais leves, com penetração de apenas 9,8%.

Por causa da falta de semicondutores, a marca estadunidense está com a produção paralisada em Gravataí, RS, desde março – sem data prevista para retorno – e vai parar por seis semanas as operações de São Caetano do Sul, SP, sob alegação de que vai adequar a linha para receber um novo produto, que é uma picape.

A Hyundai aproximou-se da marca Chevrolet em maio, vendendo 16,8 mil unidades, participação de 9,6%. Na sequência vêm Toyota (15,5 mil unidades e 8,8%) e Jeep (13,5 mil e 7,7%). No acumulado do ano as posições se repetem, com Fiat em primeiro lugar – 179,3 mil licenciamentos e fatia de 21,3%, seguida da Volkswagen (143,8 mil e 17,1%), GM (113 mil e 131,4%), Hyundai (78,7 mil e 9,4%), Toyota (62 mil e 7,4%) e Jeep (59,6 mil e 7,1%.

O problema da falta de peças atinge a indústria automotiva de forma geral, impedindo que haja aumento da produção compatível com a demanda do mercado. Há filas de espera para a maioria dos modelos, incluindo a picape Fiat Strada, o Chevrolet Onix e os demais modelos de entrada, com perspectiva de a situação agravar-se ainda mais nos próximos meses.

Anúncio

LEIA MAIS

Com estoques reduzidos, cresce a fila de espera por alguns veículos

Aumenta fila de espera para compra de carros pelas locadoras

VW e Nissan também vão parar por falta de semicondutores

A Volkswagen, por exemplo, já anunciou paralisação de dez dias nas fábricas de Taubaté, SP, e São José dos Pinhais, PR, e a Nissan está estudando paradas esporádicas em suas linhas.

Stellantis tem mais de 30% do mercado

Com as marcas Fiat, Jeep, Peugeot, Citroën e Ram, a Stellantis conquistou em maio mais de 1/3 do mercado de automóveis e comerciais leves no Brasil. O novo conglomerado automotivo mundial emplacou 58.847 veículos no mês, com participação de 33,4%. No acumulado do ano suas vendas atingiram 355,4 mil unidades, o equivalente a uma fatia de 30,4%.

Destaque especial para a evolução da Peugeot, que nos últimos anos vinha registrando participação inferior a 1%. Em maio, ficou com fatia de 1,4%, seu melhor  resultado mensal desde novembro de 2017.  No acumulado de janeiro a maio,  a marca negociou 8.910 automóveis e comerciais leves, 131,4% a mais do que em igual período do ano passado.


Foto: Divulgação