Ao mesmo tempo em que comemora vinte anos desde que iniciou fabricação de automóveis no Brasil, a Renault acaba de acumular a marca de 3 milhões de unidades produzidas no Complexo Ayrton Senna, em São José dos Pinhais (PR).

A fábrica paranaense da marca nasceu em 1998 a partir de investimento inicial de US$ 1,3 bilhão para iniciar a produção do Scénic, modelo também responsável por inaugurar no País, o segmento de minivan. Logo em seguida, a unidade recebeu o Clio, produzido de 2000 a 2007, bem como a linha Mégane. Atualmente, saem das linhas do complexo o Kwid, Sandero, Logan, Duster, Duster Oroch, Captur e o comercial leve Master.

“Há 20 anos, a Renault tem apresentado uma série de veículos inovadores que conquistaram o consumidor brasileiro, o que nos permite chegar a uma marca tão expressiva quanto a fabricação de 3 milhões de veículos no País”, pontua em comunicado Luiz Fernando Pedrucci, presidente da Renault para a América Latina, que aproveita para agradecer colaboradores, fornecedores, concessionários e clientes da marca.

No Complexo Ayrton Senna estão instaladas quatro fábricas. A de automóveis, com capacidade produtiva para 320 unidades/ano, a de veículos utilitários, capaz de fabricar até 60 mil comerciais leves por ano, a fábrica de motores e, mais recentemente, inaugurada em março de 2018, a de componentes de alumínio para motores.

Essa mais nova instalação da empresa, resultado de um investimento de R$ 350 milhões, parte dos R$ 750 milhões anunciados para o Brasil no ano passado, pode produzir 250 mil blocos/anos e 250 mil cabeçotes/ano para a montagem dos motores 1.6 SCe, presente na maior parte dos modelos da marca por aqui.

Anúncio

LEIA MAIS

→Renault completa 20 anos com participação recorde

→Renault tem novo presidente para a América Latina

→Kwid e Captur empurram Renault mercado acima

→Renault: 4 milhões de motores produzidos no País

→Renault já produz blocos e cabeçotes de alumínio no Paraná

Além de abastecer o Brasil, os veículos produzidos em São José dos Pinhais também seguem para diversos países da América Latina e da África.

Neste ano, a Renault do Brasil também comemorou a produção de 4 milhões de motores e de 1 milhão de unidades do Sandero, hoje o modelo da marca mais vendido no País.

No Brasil, a Renault emprega 7,3 mil colaboradores e uma rede de concessionárias com trezentos pontos de venda. No ano passado, a fabricante contabilizou por volta de 167 mil unidades vendidas, o que representou sua melhor participação de mercado desde que iniciou atividades por aqui, de 7,7%.


Foto: Renault/Divulgação