Atual programa de renovação da frota de ônibus de Curitiba (PR) prevê aquisição de 450 unidades de 2017 a 2020. Até o momento, os operadores substituíram no sistema de transporte 251 ônibus, destes 124 Mercedes-Benz já circulam na cidade e outros 36 devem ser entregues ainda em abril, representando participação de mais de 63% das vendas nesta fase do processo.

No pacote de modelos da fabricante, os operadores absorveram ampla lista de chassis para as diversas linhas da capital paranaense, dos tradicionais ônibus com motor dianteiro OF 1519 e OF 1721 aos articulados da linha O 500. Uma versão, no entanto, da gama O 500 MDA, chama atenção pela singularidade da proposta.

O chassi, chamado de superarticulado, foi desenvolvido especialmente para atender às necessidades do sistema de transporte da cidade. O modelo, originalmente para encarroçamentos de 23 metros, foi readequado para carrocerias de 21 metros para 165 passageiros. “Encontramos uma versão competitiva que atende questões de capacidade e custo”, conta Walter Barbosa, diretor de vendas e marketing ônibus da Mercedes-Benz.

Segundo Barbosa, o encurtamento do chassi foi uma solução encontrada pela engenharia para adequar a carroceria do veículo às chamadas estações tubo do sistema de BRT da cidade, especialmente as portas junto às plataformas de embarque. “Os modelos de 23 metros não se encaixam corretamente ao mobiliário dos corredores, onde circulam articulados ou biarticulados.”

LEIA MAIS

→Mercedes-Benz amplia oferta de ônibus rodoviário

→Mercedes-Benz tem frota de ônibus exclusiva para demonstração

→Scania faz parceria para testes com ônibus a gás em Curitiba

Anúncio

→Scania rompe a hegemonia da Volvo em Curitiba

Os testes com o veículo começaram em abril de 2017 em quatro empresas, Viação Cidade Sorriso, Auto Viação Redentor, Viação Santo Ângelo e Viação Colombo. Com as compras para renovação, duas das operadoras aprovaram o projeto: a Cidade Sorriso incorporou seis unidades e a Redentor, duas.

Para Maurício Gulin, presidente da Cidade Sorriso, os resultados apresentados durante a avaliação foram determinantes para trazer os supearticulados para a frota. “Identificamos ótimas perspectivas de redução no consumo de diesel e também no custo de peças. Temos histórico com ônibus da marca, o que nos dá flexibilidade no almoxarifado para intercâmbio de peças entre os veículos Mercedes-Benz. Também conforto pesou na decisão, devido ao motor traseiro.”

A Cidade Sorriso é uma das empresas que mais investe no atual programa de renovação. Segundo Gulin, o investimento chega por volta de R$ 160 milhões, dois terços do valor são de aquisições de ônibus da Mercedes-Benz.

Pelas contas da fabricante de São Bernardo do Campo (SP), a marca vem a passos largos ganhando participação nos coletivos curitibanos. Se em 2014 tinha 5%, no ano passado com a venda de setenta unidades, chegou a 47% de participação de mercado. Somente no primeiro bimestre de 2019, mais noventa ônibus da Mercedes-Benz foram emplacados na cidade. Baseado nos dados da Setransp, o sindicato que reúne as operadoras de transporte da cidade, atualmente a marca está em 55% da frota circulante de pouco mais de 1,6 mil ônibus.

O diretor de vendas da montadora estima que as novas compras que virão com o programa de renovação, a participação da empresa alcance 60% até o fim de 2019.


Foto: Mercedes-Benz/Divulgação